7º Chakra – Sahasrara

o eremita

downloadChegamos ao ultimo dos 7 principais chakras do corpo Humano.

Sahasrara padma

(Chacra Coroa)

Nome em sânscrito: SAHASRARA (“O Lótus das mil pétalas”)

Mantra: Aum.

Pétalas: 1000.

Localização: No topo da cabeça, bem no centro.

Cor: Violeta e Branco.

Elemento: Todos os elementos.

Funções: Revitaliza o cérebro.

Qualidades Positivas: Percepção além do tempo e do espaço. Abre a consciência para o infinito.

Qualidades Negativas: Alienação, Confusão, Depressão e Falta de Inspiração.

O Sahashara (Lótus das mil pétalas, em sânscrito) possui exatamente 972 pétalas. Está no topo da cabeça, ligado à pineal ou epífise, que é a glândula que fica no centro da cabeça. O chacra forma uma coroa de luz, por isso também é conhecido como chacra da coroa, pois está voltado para cima. Apresenta cor violeta, branco-fluorescente ou dourado.

Através desse chacra, podemos alcançar o entendimento de tudo e é através  dele que nos conectamos com o plano espiritual, com o Eu Superior, com Deus e o divino em todas as coisas; está ligado à nossa forma de professar nossa fé e evoluir espiritualmente.

Quando ele é trabalhado e desenvolvido, facilita a lembrança e a conscientização das projeções da consciência. Tem muita importância na telepatia, no desenvolvimento da mediunidade, nas expansões da consciência e na recepção de temas elevados. É o chacra por onde penetra a energia cósmica e a energia do Sol também.

O coronário é o chacra mais importante, pois é o responsável por energizar o cérebro, tem influência nas funções mentais e na produção de serotonina, o hormônio do bem-estar, pois regula o sono, o apetite, o humor, entre outras funções.

Esse chacra representa o corpo causal. A vibração dele também indica que estamos vivos. Por esse motivo é que pessoas que dizem não acreditar em Deus, ou não professar nenhuma fé, ou não ter alguma prática religiosa também apresentam atividade no chacra da coroa.

Quando está em desequilíbrio, a pessoa pode desenvolver fobias, problemas neurológicos, falta de fé, depressão, tendências suicidas. Quando está saudável, ativamos toda nossa sensibilidade e vivemos alinhados ao nosso propósito, com saúde, felicidade e muita disposição.

O chacra da coroa é o mais importante de todos os chakras, e a sua missão é compreender toda a existência e se iluminar, integrar-se com o todo. É nosso último dever no planeta Terra.

Termina assim essa sequencia sobre os Chakras do nosso Corpo Curtiu? Comente e deixe suas experiencias e mande sugestões de mais temas!

Gratidão.

315338_10200279771090804_1881779686_n

Anúncios

O baralho Lenormand

coração cigano

sandysO baralho conhecido como “cigano” não foi criado por tal povo, trata-se do baralho Lenormand, que por usar uma linguagem simples, foi adotado pelo povo cigano.
Os baralhos Lenormand juntamente com as cartas de Tarô são as mais utilizadas no campo da cartomancia.
As cartas Lenormand foram criadas por Mademoiselle Marie-Anne Adelaide Lenormand, cartomante francesa de grande renome que também exercia, além de outras atividades adivinhatórias, a quiromancia, a clarividência, a leitura de cartas, leitura de folhas de chá, astrologia, etc.
Lenormand teve entre suas clientes Josefina de Beauharnais, esposa de Napoleão Bonaparte. Ela teria previsto a ascensão e queda do imperador Napoleão, os segredos da imperatriz Josefina e o destino de muitos notáveis de seu tempo.
Nasceu em Alençon, na Normandia (1772-1843). Perdeu seu pai quando tinha apenas um ano de idade e logo em seguida sua mãe, aos 5 anos. Depois disso foi enviada a um convento. Lá surgiram os primeiros relatos de sua clarividência.
Morou em Paris num período posterior a Revolução Francesa e lá consolidou sua fama de advinha.

Em 1807, Mlle. Lenormand leu nas mãos de Napoleão sua intenção de se divorciar de Josefina. Para afastá-la ele a mandou à prisão por 12 dias. Esse fato foi o verdadeiro lançamento de sua carreira e ela se tornou a cartomante mais popular de sua época.
Em 25 de junho de 1834, aos 74 anos de idade, foi enterrada em Paris, no cemitério Père Lachaise. Por motivos desconhecidos, os segredos do Tarô Lenormand desapareceram temporariamente com o falecimento de Mlle. Lenormand e cerca de 50 anos depois eles foram recuperados com a descoberta de alguns manuscritos deixados por Anne-Marie. A partir desses documentos, foram desenvolvidos dois baralhos, um deles conhecido como Baralho Lenormand e ilustrado com figuras da época e ainda hoje fabricado na França. O outro com figuras mais simples e atuais corresponde à versão utilizada pelos ciganos, propagadores deste baralho.

O Pequeno Lenormand 
O baralho da “Sibila de Alençon” foi inicialmente publicado em 1828 e tinha 52 cartas, as mesmas do baralho comum. Esse conjunto foi redesenhado e reduzido a 36 cartas por volta de 1840, provavelmente pela própria Mlle. Lenormand, solicitado pela casa de impressão Grimaud. Esse conjunto menor ficou conhecido como Pequeno Lenormand.
Como já acontecia com o baralho de Etteila são adicionadas gravuras diversas às cartas numeradas. Trata-se de um recurso que para a cartomancia popular, facilita a atribuição de significados práticos às cartas. Tal medida por um lado dá maior proximidade ao leitor, por outro, limita sua amplitude simbólica.
A popularidade do baralho Lenormand estimulou incontáveis cópias e imitações por toda a Europa e até hoje é redesenhado.

O Grande Lenormand 
O baralho mais antigo com o nome Lenormand é o “Sybille des Salons”, com 52 cartas, cada uma delas mostrando um personagem diferente.
A primeira edição de 1828 destinou-se a cartomancia, têm cartas do tipo “a conversa”, “a viagem”, “o casamento”; um estilo que lembra as atuais histórias em quadrinhos. Trata-se de um gênero bastante popular difundido na França, Inglaterra e Alemanha a partir de 1700.
“A Sibila” foi redesenhada pelo célebre ilustrador Grandville, Gérard Jean Ignace Isidore, e publicada com mesmo título por volta de 1840, pela impressora parisiense Grimaud.

http://www.tarotdoamor.com.br/baralho_cigano.asp

Esmeralda de La Luna

Bind Runes

Falando com as Runa (1)

Saudações!

O universo das runas é bastante extenso, podendo ser usado no dia a dia, em mentalizações, em amuletos de proteção, anti magia, atrair o amor, entre outros. Em exercícios para harmonização e equilíbrio (galdr/ stadr) e na magia e feitiçaria de modo geral. Além é claro de seu uso oracular.

No entanto além dos 24 símbolos do futhark original nós temos os chamados Bind Runes. Trata-se de associações entre um ou mais símbolos rúnicos do alfabeto original, formando assim um novo símbolo totalmente novo e imbuído de novas atribuições mágicas.

É necessário um conhecimento prévio das letras rúnicas para uma boa associação, e para conseguir o objetivo desejado.

Um exemplo de bind rune muito conhecido é o símbolo do Bluetooth.

O nome “Bluetooth” foi emprestado do rei do século X Harald Bluetooth que uniu tribos dinamarquesas dissonantes em um único reino e, segundo a lenda, introduziu o cristianismo também. A ideia desse nome foi proposta em 1997 por Jim Kardach que desenvolveu um sistema que permita telefones celulares se comunicar com computadores.

O logotipo do Bluetooth é a união das runas nórdicas Hagalaz e Berkana correspondentes às letras H e B do nosso alfabeto (uma referência bastante óbvia ao nome do rei Harald Blåtand).

28185843877407

Você também pode criar seu bind rune pessoal unindo as iniciais de seu nome, o que irá trazer uma energia muito especial, além é claro de ser algo exclusivo.

Para mais informações e uma consultoria completa acesse nosso site e bate um papo comigo.

Logo volto com algumas dicas práticas!

Abraços

Ligia Raido.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/bluetooth/73301-voce-sabe-significado-simbolo-do-bluetooth.htm

LUGHNASADH – LAMMAS

Ligia Raido

LughnasadhLughnasadh, também conhecido como Véspera de Agosto, Festa do Pão, Lar da Colheita e Lammas. Hoje celebrado no dia primeiro de Agosto ou ainda sob a Lua Cheia do signo de Leão.

“Lá Lúnasa” é um dos quatro Festivais Celtas do Fogo e, basicamente, um ritual agrícola de agradecimento, onde se comemora o primeiro dos três festivais da colheita, dedicado ao Deus Lugh, seu nome significa “Luz” – belo como o Sol.

Lughnasadh é o Sabbat da primeira colheita, momento em que os primeiros grãos eram colhidos, pães eram feitos e a fartura voltava a reinar.

Neste momento oferendas de agradecimento aos Deuses eram feitas e grãos eram consagrados para serem plantados.

Lugh agora se transforma no Deus das Sombras, doando sua energia às sementes para que a vida seja sustentada, enquanto a Mãe se prepara para assumir o papel de Anciã.

Esse poderoso ritual enfatiza a relação do fogo com os Deuses da vida e a centelha da criação. É o tempo de dar gratidão pelo que você começou a receber e sacrificar o que você puder para receber mais.

  

Fontes de pesquisa:

Wicca para todos – Claudiney Prieto

Guia essencial da bruxa solitária – Scott Cunningham

Estudos pessoais