Confecção das Runas

Falando com as Runa (1)

Você pode confeccionar suas runas usando semente, madeira, pedras, cristais, osso, couro, conchas, etc.

O ideal é usar um material o mais natural possível e que seja fácil de gravar ou pintar os símbolos rúnicos.

Faça um saquinho ou caixinha para guardá-las e sempre deixe um cristal de ametista junto as suas runas para transmutação das energias.

 A ametista além de aumentar a intuição transmuta a energia entre uma consulta e outra.

Faça deste trabalho um ritual, se conectando com os Deuses das Runas e desenvolvendo sua intuição (procure trabalhar em uma fase de Lua Crescente ou Cheia).

Como amante das runas e artesã eu mesma confecciono as minhas. Tenho uma coleção, acredito que são 11 os jogos que tenho até agora.  Vou dar um passo a passo pra que vocês possam fazer a de vocês.

 Runas de MadeiraFeitas de cabo de vassoura

Um galho de árvore ou cabo de vassoura (lembre de pedir licença se for cortar um galho de uma árvore).

Corte/serre em rodelas e lixe com uma lixa para madeira.

Limpe pra tirar o pó e grave os símbolos com um pirógrafo ou com tinta acrílica (eu prefiro tinta brilhante), você pode usar a cor azul para uma conexão maior com Odin ou vermelho para uma maior conexão com Thor.  Ou use a cor que sua intuição mandar.

Depois deste processo passe de  uma a duas demão de verniz. Pode ser usado verniz geral ou vitral (o vitral demora mais pra secar). Ou sele com cera de abelha.

Estão prontas suas runas!

Runas de Semente

Olho de boi e sucupira são as mais comuns, o procedimento é o mesmo que o usado na de madeira. Tomando o cuidado pra não molhar as sementes, pois estas se estragam. Lembrando que as de olho de boi escurecem com o tempo.

Runas de Cristais e Vitrilho

Nestas usa-se verniz vitral colorido. Usando um pincel fino (destes para contorno) pra fazer os símbolos. Deixe – as secar muito bem e após leve ao forno convencional a 180 graus por 30 minutos. Isso fará com que fixe a tinta. Vai clarear um pouco mas é normal.

Runas de Conchas, Búzios e Pedras (calcita ou de jardim)

Use tinta acrílica e passe verniz spray por cima.

O material que se pode usar em runas é extenso, estes são só algumas idéias.

Divirtam-se!

Bindrunes

Falando com as Runa (1)

Estava pesquisando mais sobre o assunto e achei esse texto fantástico. Segue abaixo mais um pouco sobre as bindrunes.


Não existe uma regra única em relação a bindrunes. Nem mesmo entre praticantes da mesma tradição. Por exemplo, quando você cria uma bindrune todas as runas que podem ser identificadas participam da bindrune ou apenas as que você chama? Eu aprendi que você escolhe as runas que vai ativar, chamando pelo espírito das runas que você quer. E isso funciona perfeitamente. Mas eu sinto, e isso é totalmente pessoal, que todas as runas formadas pelas linhas de sua bindrune afetarão o resultado, de uma forma ou de outra.

Pense bem, todas as runas foram formadas a partir de Isa e Kaunaz, o gelo e o fogo cósmicos, forma e transformação. Você pode interpretar cada runa pela forma como Isa e Kaunaz se manifestam na runa. Isa representa, além do gelo, a forma, o plano físico, logo, o fato de que isa está presente em todas as demais runas é o que dá a cada runa o poder de atuar no plano físico. Elas atuam na forma porque possuem a forma dentro delas, faz sentido?

Daí podemos inferir que Isa estará presente em cada bindrune que você criar, concorda? Pois bem, se Isa estará presente, você concorda comigo que, se houver laguz em sua bindrune, esta também estará presente? Pode ser que você não a ative, não chame por ela, mas ela estará la, atuando nas sombras ou, como eu já senti, atuando na transformação ao invés de atuar na forma. Você pode escolher não ativar Laguz em sua bindrune, mas concorda comigo que entender que Laguz está lá pode te ajudar a perceber e até mesmo controlar possíveis efeitos colaterais de sua bindrune ou mesmo fazer com que você altere o desenho para evitar ou assegurar a presença de uma runa?

E mais, as Runas são espíritos vivos, conscientes, e não são bichinhos domesticados que executam nossos desejos ao mero estalar de dedos. Não importa o que você faca ou queria, pode ser que as runas tenham outras ideias. Elas não podem deixar de agir conforme sua natureza, nada pode fazer isso, mas a natureza das runas não é unidimensional e a runa pode escolher manifestar um aspecto diferente daquele que você queria ou no qual pensou.

Naelyan Wyvern

Fonte: http://caminhosdassombras.com.br/forum/index.php?topic=204.0


 

 

Bind Runes

Falando com as Runa (1)

Saudações!

O universo das runas é bastante extenso, podendo ser usado no dia a dia, em mentalizações, em amuletos de proteção, anti magia, atrair o amor, entre outros. Em exercícios para harmonização e equilíbrio (galdr/ stadr) e na magia e feitiçaria de modo geral. Além é claro de seu uso oracular.

No entanto além dos 24 símbolos do futhark original nós temos os chamados Bind Runes. Trata-se de associações entre um ou mais símbolos rúnicos do alfabeto original, formando assim um novo símbolo totalmente novo e imbuído de novas atribuições mágicas.

É necessário um conhecimento prévio das letras rúnicas para uma boa associação, e para conseguir o objetivo desejado.

Um exemplo de bind rune muito conhecido é o símbolo do Bluetooth.

O nome “Bluetooth” foi emprestado do rei do século X Harald Bluetooth que uniu tribos dinamarquesas dissonantes em um único reino e, segundo a lenda, introduziu o cristianismo também. A ideia desse nome foi proposta em 1997 por Jim Kardach que desenvolveu um sistema que permita telefones celulares se comunicar com computadores.

O logotipo do Bluetooth é a união das runas nórdicas Hagalaz e Berkana correspondentes às letras H e B do nosso alfabeto (uma referência bastante óbvia ao nome do rei Harald Blåtand).

28185843877407

Você também pode criar seu bind rune pessoal unindo as iniciais de seu nome, o que irá trazer uma energia muito especial, além é claro de ser algo exclusivo.

Para mais informações e uma consultoria completa acesse nosso site e bate um papo comigo.

Logo volto com algumas dicas práticas!

Abraços

Ligia Raido.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/bluetooth/73301-voce-sabe-significado-simbolo-do-bluetooth.htm

Falando com as Runa (1)

Saudações!

Hoje vou falar de uma deusa pouco conhecida, trata-se de Sif, a deusa dos cabelos dourados.

sifComo regia a beleza, o amor, a fertilidade, a fidelidade, a vegetação e, principalmente, os campos de trigo maduro, diziam que, em noites quentes de verão, quando Thor e Sif fazem amor, raios caiem sobre os campos e aceleram o crescimento dos grãos. Sif representa, portanto, a riqueza, a colheita, o bem-estar familiar e a paz entre as tribos.

Sif era lindíssima e tinha cabelos longos e belos que iam até seus pés. Thor também tinha muito orgulho de sua maravilhosa esposa e seus cabelos compridos.
Porém um dia a encontrou sem cabelos, totalmente careca e ficou furioso. É óbvio que rapidamente soube que Loki tinha feito essa maldade. O trapaceiro como sempre pediu perdão assim que Thor o capturou, e prometeu cabelos novos, lindos deslumbrantes quanto os que ele cortou.

Loki procurou o anão Dvalin e implorou que ele ajudasse e fizesse novos cabelos para Sif além de um presente para Odin, pois ele sabia que o Rei de Asgard estava furioso.
Depois de muito insistir Dvalin ajudou Loki e fabricou a lança Gungnir, que nunca erra o alvo, construiu o navio Skidbladgar que podia navegar por mar, céu e terra, e podia ser dobrado até caber na palma da mão e com fios de ouro, fez cabelos para Sif. Quando ela os pôs na cabeça, começaram a crescer como se fossem seus antigos cabelos, só que mais iluminados e bonitos.

Algumas fontes dizem que ela é Vanir, outras que é Aesir. Os estudiosos não conseguem chegar a um consenso a esse respeito.

Não existem muitas fontes sobre os pais e ela aparece pouco nas Eddas, porém é óbvio que tem muita importância. Para o povo nórdico as colheitas tinham de ser abundantes, pois no resto do ano a terra congelava.

(Texto de Helena Pereira)

Acredito que Sif, por ter sofrido uma violência (o corte de seu cabelo), protege as mulheres que de alguma forma também sofreram algum tipo de violência ou desvalorização (e isso é meu atendimento, a minha vivência e conexão com essa deusa). Busque conexão com Sif quando quiser trabalhar com beleza, ou mesmo quando sentir-se sozinha ou desvalorizada.

Até breve!

Feitiço rúnico para revelar a verdade

Falando com as Runa (1)Saudações!

Hoje quero passar para vocês um feitiço rúnico muito simples para a revelação do que está oculto, a revelação da verdade.

Perth é uma runa que está associada ao futuro, aos mistérios, aos segredos. Perth também traz uma forte energia de revelação, e o seu maior e mais difícil aprendizado é o de não se decepcionar com a verdade, com as descobertas.

downloadVocê irá precisar de uma vela palito de cor branca, vai desenhar o símbolo na vela e pedir para que a força daquele símbolo traga a verdade para a questão que desejar, se quiser descreva a situação. Acenda a vela e aguarde. Se quiser trabalhar com a energia de alguma deidade, trabalhe com as Nornes, que são as fiandeiras do destino e estão diretamente ligadas a runa Perth.

Faça esse feitiço se realmente sentir que é necessário. E lembre-se de não se decepcionar com a verdade que ele irá lhe mostrar.

Para saber mais sobre runas e sobre feitiços fique ligado em nossa página de agenda e nas redes sociais. Lembrando que estamos com as inscrições abertas para o workshop de imersão à feitiçaria.

Yule – O solstício de inverno

2e096f46a631f460d491ea429a306dd4Também conhecido como Natal, Ritual de Inverno, Meio do Inverno, Yule e Alban Arthan, o Sabbat do Solstício do Inverno é a noite mais longa do ano, marcando a época em que os dias começam a crescer, e as horas de escuridão a diminuir. É o festival do renascimento do sol e o tempo de glorificar o Deus. É celebrado no Solstício de Inverno que ocorre por volta de 20 de junho no Hemisfério Sul e por volta 20 de dezembro no Hemisfério Norte. Este é o momento de celebrar o retorno do Sol.

Os costumes modernos associados com o feriado cristão do Natal, como decorar a árvore, pendurar o visco e o azevinho, e queimar o tronco natalino (Yule log), são todos belos costumes pagãos que remontam aos tempos pré-cristãos, quando o Sabbat do Yule (que acontece no Solstício de Inverno no hemisfério norte, alguns dias antes do Natal) originalmente comemorava o renascimento do Deus Sol.

O Solstício de Inverno é a noite mais longa do ano, sendo o momento em que se homenageia a escuridão e o Grande Deus Cornífero que governa a metade escura do ano.

Em Yule a escuridão reina como se estivéssemos no caldeirão da Deusa. Assim, O Rei das Sombras transforma-se na Criança da Promessa, o Filho do Sol, que deverá nascer para restaurar a natureza.

Para os nórdicos a noite da Mãe, é à noite antes do Solstício de Inverno, é nesse momento que nasce o Novo Ano. Honram o começo do retorno de Sunna e a quebra do feitiço do Inverno. Essa é uma ocasião para honrar Thor e Frey.

Depois das longas noites de inverno, a partir deste momento o Sol voltará a brilhar e os dias serão mais longos do que as noites. Para os povos antigos o clima era algo extremamente importante, uma vez que passavam a maioria do tempo ao ar livre. Exatamente por isso, o Solstício de Inverno era uma data reverenciada, pois anunciava a promessa do retorno do sol, da luz e da fertilização da vida. O Deus, como a Criança da Promessa (o sol nascente e crescente), era celebrado para trazer calor e luminosidade. Yule assinala a esperança de um novo tempo, abrindo caminho para as inúmeras possibilidades.

Era celebrado com luzes, fogo e a tradicional árvore de Yule com enfeites e bolotas de carvalho, que posteriormente foi assimilada pelo Cristianismo e se transformou na árvore de natal.

Yule representa o retorno da luz, quando na noite mais fria e longa do ano a

Deusa dá a luz ao Deus Sol, a Criança da Promessa. Com isso as esperanças renascem e ele traz fertilidade e calor a Terra.

O Solstício de Inverno é tempo de regeneração e mudanças, o recolhimento na escuridão da terra, ou seja, o hibernar para renovar-se. Ideal para despertarmos nossa criança interior, restaurando as energias em honra à Mãe Divina. Esse festival representa, basicamente, o ciclo de morte e renascimento. Momento propício à meditação, a introspecção, ao desapego e a proteção.

As celebrações de Yule são marcadas pela runa Jera, simbolizando a complementação dos ciclos naturais e o casamento sagrado entre o Céu e a Terra.

Fontes de pesquisa:

Anuário da grande mãe – Mirella Faur

A magia das velas – Gerina Dunwich

Wicca para todos – Claudiney Prieto

Estudos pessoais

Ligia Raido

 

Galdr – O canto das runas

Falando com as Runa (1)

Saudações!

Existem várias formas de conexão com as runas, falamos sobre os exercícios corporais, sobre como trabalhar na manipulação de alimentos e hoje quero falar de uma maneira muito simples de se conectar a energia de cada símbolo. Trata-se do GALDR.

Galdr é um temo em nórdico antigo para denominar feitiço ou encantamento. Sendo uma forma de magia cantada, que nas fontes literárias mostram que eram utilizadas para cura, adivinhações, proteções e malefícios. O galdr concentra-se na repetição de um som, na força mágica das letras de cada símbolo rúnico. Os praticantes de Galdr eram especialmente chamados de galdralag.

O galdr foi muito utilizado para facilitar as mulheres em seus trabalhos de parto, também foram utilizados de forma a levantarem tempestades, tornar espadas cegas, e decidir vitórias ou derrotas em batalhas.

Você pode usar como meio de transformação pessoal e do ambiente em que se encontra, bem como para alcançar a realização de um desejo.

Apesar das ressalvas de alguns autores não existem regras rígidas para a prática do galdr, você deve conhecer o símbolo rúnico e seu propósito e encontrar a melhor forma de praticar o canto. Vou deixar um vídeo para servir de inspiração.

Abraços e até breve!