A runa do mês de Junho

Falando com as Runa (1)

Até breve!

A runa branca

Falando com as Runa (1)

A runa branca ou runa de Odin surgiu no século XX através do autor Ralph Blum que quis assim fazer uma homenagem ao pai de todos. No futhark original ou futhark antigo a runa branca não existe, tornando assim seu uso desnecessário. No entanto como o assunto é polêmico, e é de livre escolha seu uso ou não segue abaixo o significado da mesma.

WirdOdin é a runa em branco a runa do Criador. Fala das surpresas do destino e da finalização de ciclos. Odin representa as três Nornes: Urd – passado, Verdandi – presente e Skuld – futuro. É a misteriosa lei que atua dentro do indivíduo. É o próprio Universo. É você vivendo o hoje de maneira a ter certeza de que está contribuindo e semeando o solo, para colher um amanhã mais florido. Você contribuindo não só pra seu crescimento, mas para o crescimento do mundo em que vive.  Aprenda a viver o destino e confie no criador.

Um excelente fim/inicio de ciclo à todos e até breve.

Ligia Raido

Odin – O Pai de todos

Falando com as Runa (1)

Odin ou Ódin (em nórdico antigo: Óðinn) é considerado o deus principal da mitologia nórdica.

Seu papel, como o de muitos deuses nórdicos, é complexo; é o deus da sabedoria, da guerra e da morte, embora também, em menor escala, da magia, da poesia, da profecia, da vitória e da caça.

Odin morava em Asgard, no palácio de Valaskjálf, que ele construiu para si, e onde se encontra seu trono, o Hliðskjálf, desde onde podia observar o que acontecia em cada um dos nove mundos. Durante o combate brandia sua lança, chamada Gungnir, e montava seu corcel de oito patas, chamado Sleipnir.

Era filho de Borr e da jotun (gigante) Bestla, irmão de Vili e Ve, esposo de Frigg e pai de muitos dos deuses, tais como Thor, Baldur, Vidar e Váli. Na poesia escáldica faz-se referência a ele com diversos kenningar (teoria), e um dos que são utilizados para mencioná-lo é Allföðr (“pai de todos”).

A quarta-feira, dia que era/é dedicado ao deus, tomou as denominações, no inglês, wednesday (antigo saxão, wôdanes dag, anglo-saxão, vôdnes dag), no holandês, woensdag (médio-neerlandês, woensdach), no sueco e dinamarquês, onsdag (Old Norse, odinsdagr), e no dialeto da Vestefália, godenstag ou gunstag.

Desse modo, vemos que Óðinn, na concepção do poeta édico, é criador da humanidade, detentor supremo do conhecimento, das fórmulas mágicas e das runas, invocado por ocasião das batalhas, durante os naufrágios e as doenças, na defesa contra o inimigo, e afinal em qualquer situação desesperadora.

Odin (2)

Oração à Odin

Meu governante de Asgard
Senhor de todas as magias
Deus nórdico que domina todas as forças
De Granideum, grande mitologia nórdica.
Senhor de todas as leis que regem os outros deuses
Defenda-me com sua lança de Gungnir
Leve-me na companhia de Sleipnir
Seu cavalo de oito patas
Que tem a faculdade de cavalgar no espaço, por cima das terras e águas.
Cavalgue e não me deixes cair.

Odin daí-me sua sabedoria.
Que conseguistes no poço de Mimir
Para que possa discernir os bons dos maus
Pois tenho o mesmo gosto seu por batalhas
Impossíveis, sangrentas, mais vitoriosas.
Onde ao lado de Loki quero estar
Loki (deus do fogo) seu filho, irmão consanguíneo de Thor*
Apesar de símbolo da maldade Loki me torna firme em minhas decisões mais difíceis e cruéis.

Mesmo que seja comigo mesmo!
E com sua bela aparência e terna que disfarça atos cruéis.
Mais que Odin tudo vê e tudo sabe pelos seus corvos fiéis
Que os olhos de Hugin (pensamento) e Munin (memória)
Sejam meus e seus olhos Odin, meu glorioso Deus.

Dei-me sua capa de viajante cinza para que possa mundos cruzar.
Sem ser vista, e que possas continuar usando o chapéu de abas largas.
Com o olho perdido preso nela.
Para que possas ver o impossível
No coração dos humanos normais
Por que no inferno já habito.
E tenho o poder de ver
O que pessoas comuns não podem ver.

(Malu Freitas)

Obs: *Loki é irmão consanguíneo de Odin e não de Thor, porém quis manter-me fiel ao texto original.

Você pode substituir a frase: Loki (deus do fogo) seu filho, irmão consanguíneo de Thor por Loki (deus do fogo), seu irmão de sangue.

Na próxima semana falaremos um pouco sobre a runa de Odin ou runa branca.

Até breve.

Ligia Raido.

Andando por aí!

No último dia 10 Lili Percinoto e eu tivemos a oportunidade de compartilhar com os alunos do curso de Relações Públicas e Cinema da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) um pouco do Universo da Bruxaria e do nosso dia a dia. Ficamos muito felizes com o convite que surgiu através da página do Cartomantes de Sara no facebook, e com a receptividade de todos.  Foi muito interessante compartilhar nosso conhecimento com pessoas curiosas e interessadas em aprender mais. Galerinha  inteligente e com a mente aberta.

faap

MKK Web Rádio 12-05-2016 (3)No dia 12 estivemos na MKK Web Rádio num ping pong bacana atendendo os ouvintes, Lili com o tarô e eu com as runas. O bacana foi a sincronicidade com que levamos o programa, um oráculo complementando o outro dizendo exatamente a mesma coisa, cada um com sua particularidade e com sua essência. Você confere o programa AQUI!!!

E no final de semana estivemos na convenção de bruxas e magos em Paranapiacaba. Eu fui a passeio, RS. Mas Lili palestrou no sábado! O bate papo foi sobre feitiçaria, entre outras coisas. Nós gravamos, ou pelo menos tentamos. Assim que estiver pronto, postamos aqui. E no domingo teve o II Grande Encontro de Fadas – Green Faerie 2016. Você confere fotos e sobre do que se trata a tradição AQUI.

convenção 2016

Em breve teremos um post especial sobre os amuletos de cada signo.

Abraços

Ligia Raido 🙂

Uso prático e mágico das runas

Falando com as Runa (1)

Já falamos por aqui que cada runa está ligada a uma ideia, um sentimento, um momento.Cada símbolo emana uma energia especifica quando utilizado.  Eram usadas na demarcação de túmulos, inscrições sobre pedras, armas (espadas e escudos), na entrada das casas, na poesia, etc. E se eram usadas nos tempos antigos, elas podem e devem ser usadas no dia a dia. São símbolos de proteção em primeiro lugar. Você pode usa-las em se pingentes, desenhos, e na magia de uma forma geral. Riscadas em velas ou dentro de círculos mágicos ou ainda potencializando magias e rituais para amor, saúde, prosperidade, entre outros. Em casa, em quadros e espelhos para atrair e afastar determinadas energias. Também auxiliam no reequilíbrio energético, espiritual e emocional.

Particularmente gosto de aliar a magia rúnica com a magia de cozinha. E isso pode ser feito de várias formas, desde o canto ou sussurro das runas durante a feitura do alimento, até acender uma vela com a runa riscada combinando runa, cor de vela e intenção do desejo.

Abaixo segue uma receita e um exemplo do uso prático e mágico das runas.

Uma receita para reequilíbrio energético com o auxílio das runas…

Pão de Eixoshutterstock_93424165-1

Ingredientes:
4 tabletes de fermento biológico fresco
2 copos tipo americano de leite
2 ovos grandes
Farinha de trigo até dar o ponto (mais ou menos umas 700g)
1 colher rasa de sobremesa de sal ou açúcar ou mel

Modo de preparo:
Colocar todos os líquidos, dissolver o fermento e mexer até ficar homogêneo. Acrescente o sal para a receita salgada ou o açúcar ou mel para a receita doce. Vá acrescentando a farinha aos poucos e sovando a massa.
*Se deseja centralização e reequilíbrio trabalhe a massa sovando de fora para o centro e mentalize runas de equilíbrio e foco.
Exemplo: Nauthiz, Tiwas, Isa …

 

*Se deseja trabalhar expansão trabalhe a massa sovando do centro para fora e mentalize runas de expansão.
Exemplo: Sowelo, Dagaz, Wunjo …

 

Asse em forno médio até dourar.

Você também pode desenhar a runa no pão quanto terminar de sovar.
Se puder antes de começar acenda uma vela e um incenso na cozinha.

Sirva com chá ou um café bem quentinho ou quem sabe um bom vinho. Fica ótimo!

Abraços e até breve!

Ligia Raido

A energia do mês de Maio

Falando com as Runa (1)

Saudações!

Maio traz uma homenagem a Maia, uma das deusas da primavera. Seu filho era o deus Mercúrio, pai da medicina e das ciências ocultas. Maio era chamado por Ovídio de “o mês do conhecimento”. Maio também é conhecido como o mês das noivas, o mês das mães, é o mês dedicado a Maria para os católicos, mês de Santa Sara para a comunidade cigana, e para os adeptos das religiões politeístas/pagãs, independente da roda que se segue, celebra-se um dos mais esperados e importantes sabás do ano.

Eu celebro Beltane…

O Sabá Beltane é derivado do antigo Festival Druida do Fogo, que celebrava a união da Deusa ao seu consorte, o Deus, sendo também um festival de fertilidade. Na Religião Antiga, a palavra “fertilidade” significa o desejo de produzir mais nas fazendas e nos campos e não a atividade erótica por si só.

Para esse mês tão forte e cheio de energia temos como mensagem a runa FEHU...

Runa Fehu

Fehu era uma espécie de moeda corrente usada nos tempos antigos. Provê ajuda em todos os sentidos, atrai fartura. Em geral sua energia é de fartura e abundância. Pede firmeza nos propósitos, força nos objetivos e pensamentos positivos. Significa riqueza e sucesso em todos os sentidos. O sucesso da Fehu nunca será conseguido fácil, mas sempre será um sucesso conquistado.

Desejo boas energias à todos!
Até breve.

Ligia Raido