06-01 Dia de Reis

downloadHoje é dia dos Magos Reis, aqueles que levaram presentes a Jesus quando nasceu. Hoje é dia de desmontar a árvore de Natal, e defumar nossa casa para receber esses três Reis em nosso lar.

Bem, se olharmos mais fundo, veremos que um novo ciclo se inicia hoje. Podemos receber três presentes importantes para nossa vida.  Defumem a casa com mirra e depois a iluminem com velas brancas pedindo proteção, quem tiver essência de mirra pode usar para ungir as velas. Quem tiver aquelas lanternas que dá para colocar vela dentro, é uma ótima pedida.

Peçam proteção, Luz, boa sorte e vida longa, e sejam gratos pelos presentes recebidos.

Blessed Be!

Pathy Morgana

Anúncios

Bolo do Reis

O bolo de Reis tem sempre um presente e uma fava. Acredita-se na lenda que quem tirar o presente (a moeda nesse caso) diz que terá um ano prospero e quem tira a fava é o próximo a fazer o bolo de Reis no ano seguinte. Segue a baixo nossa receita de BOLO DE REIS.

bolo-de-reis

Ingredientes

  • ¾ xícara (chá) de açúcar;
  • 1 xícara (chá) de manteiga;
  • 4 ovos;
  • 1 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo;
  • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó;
  • ½ xícara (chá) de vinho do porto;
  • 1 maçã verde;
  • ½ xícara (chá) de cereja;
  • ½ xícara (chá) de ameixa preta;
  • ½ xícara (chá) de uvas passas;
  • ½ xícara (chá) de nozes picadas;
  • ½ xícara (chá) de frutas cristalizadas.
  • 1 MOEDA (Lave-a bem antes de colocar no bolo)
  • 1 FAVA

PASSO A PASSO

  • Em um recipiente coloque as ameixas, as uvas passas, as nozes, as frutas cristalizadas, as cerejas picadas, a maçã e o vinho do porto. Reserve no vinho por aproximadamente 2 horas para umedecer as frutas. Em um recipiente coloque o açúcar e a manteiga. Misture. Adicione os ovos e mexa. Acrescente a farinha e bata com auxílio de uma colher até obter uma massa lisa. Agregue as frutas reservadas e o fermento em pó. Coloque em uma assadeira redonda, untada e polvilhada. Coloque uma moeda de um lado do bolo e a fava do outro lado. Leve ao forno pré-aquecido 180°C por 30 a 35 minutos. A seguir, retire do forno e regue com o glacê. Decore com frutas secas.
  • GLACÊ: Coloque o açúcar em um recipiente e adicione o leite aos poucos. Mexa até adquirir consistência desejada.
  • DICA: Se desejar, coloque gotas de limão no glacê.

Sirva o bolo com um café quentinho.

A simbologia, a lenda e a real história que envolvem o bolo-rei

Por detrás do bolo-rei está toda uma simbologia com 2000 anos de existência. De uma forma muito resumida, pode dizer-se que esta doce iguaria representa os presentes que os três Reis Magos deram ao Menino Jesus aquando do seu nascimento. Assim, a côdea simboliza o ouro; as frutas, cristalizadas e secas, representam a mirra; e o aroma do bolo assinala o incenso.

Ainda na base do imaginário, também a fava tem a sua “explicação”. Reza a lenda que, quando os Reis Magos viram a estrela que anunciava o nascimento de Jesus, disputaram entre si qual dos três teria a honra de ser o primeiro a brindar o Menino. Com vista a acabar com aquela discussão, um padeiro confeccionou um bolo escondendo no seu interior uma fava. O Rei Mago a quem calhasse a fatia de bolo contendo a fava seria o primeiro a entregar o presente. O dilema ficou solucionado, embora não se saiba se foi Gaspar, Baltazar ou Belchior o feliz contemplado.

Historicamente falando, a versão é bem diferente. Os romanos usavam as favas para a prática inserida nos banquetes das Saturnais, durante os quais se procedia à eleição do Rei da Festa, também designado Rei da Fava. Este costume terá tido origem num jogo de crianças muito frequente durante aquelas celebrações e que consistia em escolher entre si um rei, tirando-o à sorte com as favas.

Este inocente jogo acabou por ser adaptado pelos adultos, que passaram a fazer uso das favas para votar nas assembleias. Dado aquele jogo infantil ser característico do mês de Dezembro, a Igreja Católica decidiu relacioná-lo com a Natividade e, depois, também com a Epifania (os dias entre 25 de Dezembro e 6 de Janeiro). Esta última data acabou por ser designada pela Igreja como Dia de Reis, altura em que algumas famílias, nomeadamente em Espanha, procuram manter a tradição, não só comendo o bolo-rei como aproveitando a ocasião para distribuir os presentes pelas crianças.

Para além desta, havia uma outra tradição, da qual poucos terão conhecimento, que afirmava que os cristãos deveriam comer 12 bolos-reis, entre o Natal e os Reis, festa que muito cedo começou a ser celebrada na corte dos reis de França. O bolo- -rei terá, aliás, surgido neste país, no tempo de Luís XIV, para as festas do Ano Novo e do Dia de Reis. Com a Revolução Francesa, em 1789, a iguaria foi proibida, mas, como bom negócio que era, os pasteleiros continuaram a confeccioná-lo sob o nome de gâteau des san-cullottes.

Por cá, depois da proclamação da República, a proibição do bolo- -rei esteve também prestes a acontecer. No entanto, passado esse período negro, a história deste bolo tem sido um sucesso e todas as confeitarias e pastelarias se enchem de clientes para adquirir o rei das iguarias nesta quadra festiva.

http://www.dn.pt/arquivo/2005/interior/a-simbologia-a-lenda-e-a-real-historia-que-envolvem-o-bolorei-633068.html