Yule – O solstício de inverno

2e096f46a631f460d491ea429a306dd4Também conhecido como Natal, Ritual de Inverno, Meio do Inverno, Yule e Alban Arthan, o Sabbat do Solstício do Inverno é a noite mais longa do ano, marcando a época em que os dias começam a crescer, e as horas de escuridão a diminuir. É o festival do renascimento do sol e o tempo de glorificar o Deus. É celebrado no Solstício de Inverno que ocorre por volta de 20 de junho no Hemisfério Sul e por volta 20 de dezembro no Hemisfério Norte. Este é o momento de celebrar o retorno do Sol.

Os costumes modernos associados com o feriado cristão do Natal, como decorar a árvore, pendurar o visco e o azevinho, e queimar o tronco natalino (Yule log), são todos belos costumes pagãos que remontam aos tempos pré-cristãos, quando o Sabbat do Yule (que acontece no Solstício de Inverno no hemisfério norte, alguns dias antes do Natal) originalmente comemorava o renascimento do Deus Sol.

O Solstício de Inverno é a noite mais longa do ano, sendo o momento em que se homenageia a escuridão e o Grande Deus Cornífero que governa a metade escura do ano.

Em Yule a escuridão reina como se estivéssemos no caldeirão da Deusa. Assim, O Rei das Sombras transforma-se na Criança da Promessa, o Filho do Sol, que deverá nascer para restaurar a natureza.

Para os nórdicos a noite da Mãe, é à noite antes do Solstício de Inverno, é nesse momento que nasce o Novo Ano. Honram o começo do retorno de Sunna e a quebra do feitiço do Inverno. Essa é uma ocasião para honrar Thor e Frey.

Depois das longas noites de inverno, a partir deste momento o Sol voltará a brilhar e os dias serão mais longos do que as noites. Para os povos antigos o clima era algo extremamente importante, uma vez que passavam a maioria do tempo ao ar livre. Exatamente por isso, o Solstício de Inverno era uma data reverenciada, pois anunciava a promessa do retorno do sol, da luz e da fertilização da vida. O Deus, como a Criança da Promessa (o sol nascente e crescente), era celebrado para trazer calor e luminosidade. Yule assinala a esperança de um novo tempo, abrindo caminho para as inúmeras possibilidades.

Era celebrado com luzes, fogo e a tradicional árvore de Yule com enfeites e bolotas de carvalho, que posteriormente foi assimilada pelo Cristianismo e se transformou na árvore de natal.

Yule representa o retorno da luz, quando na noite mais fria e longa do ano a

Deusa dá a luz ao Deus Sol, a Criança da Promessa. Com isso as esperanças renascem e ele traz fertilidade e calor a Terra.

O Solstício de Inverno é tempo de regeneração e mudanças, o recolhimento na escuridão da terra, ou seja, o hibernar para renovar-se. Ideal para despertarmos nossa criança interior, restaurando as energias em honra à Mãe Divina. Esse festival representa, basicamente, o ciclo de morte e renascimento. Momento propício à meditação, a introspecção, ao desapego e a proteção.

As celebrações de Yule são marcadas pela runa Jera, simbolizando a complementação dos ciclos naturais e o casamento sagrado entre o Céu e a Terra.

Fontes de pesquisa:

Anuário da grande mãe – Mirella Faur

A magia das velas – Gerina Dunwich

Wicca para todos – Claudiney Prieto

Estudos pessoais

Ligia Raido

 

Anúncios

MABON – Equinócio de Outono

thanksgiving-harvest1920-1200

O equinócio de outono conhecido como Mabon acontece por volta do dia 21 de Março no hemisfério sul.

O equinócio é uma época de grande poder. O Equinócio de outono marca o final de um ciclo e o começo de outro. É um momento de olhar para trás, descobrir quais foram os erros e os acertos, e planejar os próximos passos. Época do equilíbrio, e do tempo de se fazer uma avaliação de tudo aquilo que foi plantado e colhido, e de dar graças. As folhas começam a cair e o Sol a minguar rapidamente. A natureza declina e se prepara para a chegada do inverno.

download

BEBIDA MÁGICA DE MABON

A bebida mágica de Mabon consiste de:

– Sidra de maçã quente;  canela, e pequenas rodelas de maça.

Essa bebida sagrada tem um significado profundo. A maçã rege o coração, a sidra representa o “eu”, por si só já é uma poção de amor. Mas quando misturada com canela, que é governada pelo Sol, representa a essência solar e, ao ingerirmos esta bebida, é como se estivéssemos ingerindo a própria luz do Sol.

 

 

Ligia Raido e Equipe Cartomantes de Sara deseja um

Feliz Mabon à todos!

 

IMBOLC ou CANDLEMAS

Ligia Raido

Dentro das tradições politeístas/pagãs temos ao todo oito celebrações são elas:

IMBOLC ou CANDLEMAS – 02 de Fevereiro

MABON – Equinócio de Outono – Por volta de 21 de Março

BELTANE – 01 de Maio

YULE – Solstício de Inverno – Por volta de 21 de Junho

LUGHNASADH – LAMMAS – 01 de Agosto

OSTARA – Equinócio de Primavera – Por volta de 21 de Setembro

SAMHAIN – HALLOWEEN – 31 de Outubro

MIDSOMMAR – MIDSUMMER – LITHA – Solstício de Verão – Por volta de 21 de Dezembro

A primeira celebração (sabah) do ano é o Imbolc ou Candlemas, que celebra a Lua Cheia no signo de Aquário, uma celebração da sabedoria e iluminação dos caminhos.

Celebramos a Noite de Brighid, Deusa do fogo, da cura, da poesia, da fertilidade, das artes e dos poços sagrados. É uma época em que os adeptos dos deuses antigos acendem velas para Brighid.

É um festival de luz e de fertilidade, um dos festivais do fogo. Fogo aqui representa nossa própria iluminação e inspiração, tanto quanto a luz e o calor. Imbolc também é conhecido como Festa das Tochas, Oimelc, Lupercalia, Festa de Pã, Snowdrop Festival, Festa de enceramento Luz, Dia de Brighid, e provavelmente por muitos outros nomes. Algumas bruxas seguem o antigo costume escandinavo de usar coroas de velas acesas. É tradicional neste dia acender velas.

Também é comum prepararmos alimentos em honra aos deuses e na celebração para Imbolc abuse de pratos de cor amarela ou alaranjada, ou ainda alimentos ligados ao Sol e ao elemento fogo.

imbolc2